Semanário Regionalista Independente
Segunda-feira Dezembro 16th 2019

Sintrense é o primeiro invisual com cinturão negro de judo no país

Carlos Diniz realizou, no dia 3, um exame que fez dele o primeiro cego, no país, com cinturão negro em judo – 1.º “Dan de Judo”. Tendo começado a praticar a modalidade aos 17 anos, na Amadora, o atleta estreou-se na secção de judo para cegos do Judo Clube de Sintra em 2007, representando um papel decisivo no arranque da modalidade em Portugal – actualmente há mais de uma dezena de praticantes, número esse que continua a crescer.

O exame de Carlos Diniz foi feito perante um júri nacional, presidido pelo Mestre Bastos Nunes, sintrense que possui a maior graduação de judo no país e que lecciona a modalidade há mais de 50 anos.

Carlos Diniz e Fernando Seabra aguardam a decisão do júri

Sintra é pioneira de judo para cegos

Foi no Judo Clube de Sintra que a modalidade começou, com o apoio da Federação Portuguesa de Judo, a Federação Portuguesa de Desporto para Deficientes e mais tarde com o apoio do Comité Paralímpico Português e da Associação Distrital de Judo de Lisboa. O precursor da modalidade foi o judoca Manuel Costa e Oliveira, em 2006. Agora, em 2010, alcança esta importante distinção do judo o atleta Carlos Diniz.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.