Semanário Regionalista Independente
Domingo Outubro 17th 2021

Jorge Sampaio uma figura de Sintra

18 de setembro de 1939/  10 de setembro de 2021

Jorge Sampaio uma figura de Sintra

 

Idalina Grácio Andrade

 

sampaio copy

Jorge Sampaio em Março de 1997, em Sintra,

com Edite Estrela e D. Duarte (foto Jornal de Sintra)

 

O Ex-Presidente da Re­pública, Jorge Sampaio é uma fi­gura incontornável da vida dos sintren­ses desde a infância. De re­levar que desde os 8 anos de idade Jorge Sampaio esteve ligado ao Hockey Club de Sintra, não só pela sua filia­ção mas também em actos posteriores, nomeadamente pela entrega de medalhas aos campeões do mundo de Sintra Edgar Cepriano e António Raio.

No Livro “Hockey Club de Sin­tra” de autoria de  F. Her­mínio Santos é bem patente o seu afecto por Sintra e pelas suas intituições.

No Centro Cultural Olga Ca­daval foi o seu nome atri­buí­do a um auditório.

No âmbito nacional Jorge Sam­paio cedo se distinguiu nas lutas académicas na dé­cada de 60, frequentava então a Faculdade de Direito da Uni­versidade de Lisboa onde desenvolveu uma rele­vante actividade política de opo­sição à ditadura.

Em 1974 fundou a Inter­ven­ção Socialista grupo consti­tuído por políticos e intele­ctuais que veriam a desem­penhar funções de relevo na vida política. Em 1978 adere ao Partido Socialista, onde manteve sempre uma liber­da­de plena consciência a auto­no­mia política.

Presentemente pertencia ao Conselho de Estado.

 

Palavras de um amigo no livro “Hockey Club de Sintra”

sampaio2 copy

Estou ligado há muito tempo ao Hockey Club de Sintra por laços de grande afectividade e por memórias que me são muito gratas. Sou seu sócio efectivo com o número 45 e, por gentileza que muito me desvaneceu, fui também feito seu sócio honorário. As minhas palavras a abrir esta publicação, que dá testemunho de seus déca­das de vida do clube, no plano nacional e in­ter­nacional, são, por isso e antes de mais, pala­vras de um amigo que fica muito feliz por ver bem docu­mentada uma activi­da­de que sem­pre acompanhou e tanto admira e louva. Felicito os pro­motores desta iniciativa tão interes­sante, que assim dão a conhecer, valorizando-o, um passado ilustre para melhor o honrarem no presente e no futuro.

sampaio1 copy

Sei que os actuais dirigentes, que saúdo com muita estima, assumem integralmente a responsabilidade de continuarem a prestigiar um nome com tantos pergaminhos e uma modalidade com tantas tradições.  Faço votos, por tudo isto, de que prossigam uma acção muito meritória, ao serviço do nosso desporto e do Concelho de Sintra.

Como Presidente da República, presto homenagem ao Hockey Club de Sintra, evocando todos os que o engrandeceram e estimulando-o a que permaneça fiel ao espírito desportivo que o anima desde a sua fundação e que constitui um justo motivo de orgulho para todos.

 

In “Hockey Club de Sintra” – Sessenta anos ao serviço do desporto

e do concelho de Sintra (1940-2000), de F. Hermínio Santos

 

————————

Recordando

Adriana Jones

CCF13092021 copy

 Jorge Sampaio e a sua mãe, Fernanda Sampaio, em Sintra

(foto Jornal de Sintra de março 1996)

 

Com o recente falecimento de Jorge Sampaio, uma figura destacada da nossa história recente, o passado não muito distante  de vivências alegres e dolorosas revisitou-me com nitidez ao lembrar pessoas que marcaram uma época em Sintra e especialmente de seus Pais, que conheci.

Arnaldo Sampaio (1908-1984) foi um médico distinto, além de ter exercido em Sintra onde vi­via, criou e dirigiu os Laboratórios de Virologia e Bacte­riologia do Insti­tuto Ricardo Jorge onde  efectuou es­tu­dos que deram origem ao Plano Nacional de Vaci­nação contra a Po­liomielite, foi mem­bro da Organiza­ção Mundial de Saúde, tendo dirigido vários Organismos Nacionais e participado noutros a nível internacional. O seu nome figura na toponímia de Sintra, tendo sido homenageado em diversos pontos do País.

Fernanda Sampaio, de família radicada em Sintra, foi uma mulher invulgarmente culta, determinada e senhora de fortes convicções. Os seus largos conhecimentos de língua e cultura inglesa proporcionaram a muitos sintrenses explicações nesse idioma.

Quando, na década de noventa, vinha passar parte do verão em Sintra, antes de partir para Lisboa, dizia-me sempre: Não venha dizer-me adeus, pois com uma saúde frágil, qualquer despedida a impressionava.

Deixou-nos em 2000 e é com muita saudade que a recordo.  Com ela também desapareceu uma certa Sintra de convívio e troca de ideias.

Jorge Sampaio foi um sintrense que pelo seu excepcional percurso cívico e político deixou um legado ímpar, amplamente reconhecido pelos seus contemporâneos e da maior importância para as novas gerações.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.